Sinais de autismo em bebês

Autismo é um transtorno do neurodesenvolvimento que afeta a comunicação e interação social.

Os primeiros sinais do autismo podem ser observados em bebês, mas nem sempre é fácil identificar.

Por isso, é importante procurar um especialista para avaliação e intervenção precoce.

O autismo pode comprometer diversas áreas do desenvolvimento, como a linguagem, a socialização e os movimentos.

Por isso, é importante prestar atenção aos sinais do autismo em bebês.

Alguns dos sinais mais comuns são:

👦 Não reagir aos sons.

É normal que o bebê se assuste com barulhos altos ou vire o rosto para o lado de onde vem o som de uma música ou do brinquedo.

Bebês com autismo não demostram interesse e não reagem a esses sons.

👦 Não emitir nenhum som.

Bebês devem tentar interagir, chamando a atenção dos pais ou de seus cuidadores com pequenos gritos e gemidos.

No caso do autismo, o bebê não emite nenhum som porque apesar de não ter nenhum comprometimento na fala, prefere ficar calado, sem interagir com os outros à sua volta, assim o bebê autista não emite sons como “baba”, “ada” ou “ohh”.

👦 Movimentos repetitivos e estereotipados.

Uma das características do autismo são os movimentos estereotipados, que consistem em movimentos que são repetidos de forma constante, como por exemplo mexer as mãos, bater na cabeça, bater a cabeça na parede, ficar se balançando ou ter outros movimentos mais complexos.

Estes movimentos podem começar a serem notados após 1 ano de vida e tendem a permanecer e se intensificar se o tratamento não for iniciado.

👦 Não responder ao ouvir o próprio nome.

Com 1 ano de idade a criança já é capaz de responder quando é chamada, assim quando o pai ou a mãe chama por ela, pode emitir algum som ou ir ao seu encontro.

No caso do autista, o bebê não responde, não emite nenhum som e não se direciona para quem a chama, ignorando-a completamente, como se não tivesse ouvido nada.

Se você notar alguns desses sinais em seu bebê, é importante procurar
ajuda especializada.

O diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.